Você está em:
ZanzandoGisele ecoativista na capa da Vogue América

Gisele ecoativista na capa da Vogue América

14 de junho de 2018 • 17:27
por Zan Viana

Gisele Bündchen é a estrela da edição de julho da revista Vogue dos EUA, fotografada pela dupla de fotógrafos holandeses Inez Van Lamsweerde e Vinoodh Matadin. Em entrevista à publicação, ela faz questão de se distanciar do título de modelo. “Ser modelo é um trabalho que eu faço, uma carreira que tenho. É algo que me permitiu conhecer o mundo, e fui bem paga por isso, mas nunca me definiu”, afirma.

Hoje, aos 37 anos, a gaúcha quer ser reconhecida por seu trabalho como ativista pela causa ambiental. Em 2004, Gisele e sua família lançaram o Projeto Água Limpa, iniciativa que recupera rio e nascentes do Rio Grande do Sul com foco na preservação da qualidade da água da região de Horizontina, sua cidade natal. A supermodelo também já participou da série documental Years of Living Dangerously, do canal National Geographic, em que explora as conexões entre o desmatamento e as mudanças climáticas em plena Amazônia. Desde 2009, é também embaixadora da boa-vontade da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em setembro do ano passado, foi convidada pelo presidente francês Emmanuel Macron para falar a líderes locais sobre a contaminação do abastecimento de água.

Agora, Gisele quer levar seu ativismo à indústria da moda. No baile do Met deste ano, ela usou o primeiro vestido sustentável da Versace, produto de um encontro promovido pela própria modelo entre Donatella Versace, diretora criativa da grife, e Livia Firth, especialista em moda sustentável e amiga pessoal da brasileira. A peça foi feita com seda orgânica tingida de forma não-agressiva à natureza.

“As pessoas esquecem que sem um ambiente saudável não há humanos saudáveis, porque, até onde eu me lembro, nossa vida depende da saúde do nosso planeta, ponto. No fim do dia, a Terra vai ficar bem. Se nós acabarmos, ela vai se regenerar. Então temos que pensar em como sobreviver aqui. Como ter o menor impacto possível?”, questiona. “A moda é uma indústria trilionária. Nós temos os meios. Só precisamos querer fazer isso”.

Esta matéria foi via twitter do Estadão. Quando fui ver a capa no Google, olha quantas capas - só pra Vogue, a Gi já fez. E ainda tem muito mais.

Seja o primeiro a comentar

A moda sai de moda, o estilo jamais.

Coco Chanel