Você está em:
ModaCom Estilo entrevista Gabriela Sales do blog Rica de Marré

Com Estilo entrevista Gabriela Sales do blog Rica de Marré

30 de setembro de 2016 • 10:04
por Yuri Ribeiro

De Maceió, com 27 anos e mais de um milhão de seguidores nas redes sociais, Gabriela Sales é a Rica de Marré, uma das mais conhecidas blogueiras do nordeste e que ganhou projeção nacional com suas dicas de moda. Jornalista, formada pela Universidade Federal de Alagoas, ela criou o blog há seis anos, para compartilhar dicas de achados em lojas, ideias de customização e falar sobre maquiagem. Hoje é uma das mais bem sucedidas digitais influencer da atualidade.

Gabriela Sales foi convidada para participar de um bate-papo durante o Teresina Trend 2016. Antes de subir ao palco e encontrar fãs e admiradores do seu trabalho, ela conversou com a equipe de O DIA. Na entrevista que você confere logo abaixo, ela conta detalhes da sua rotina de atualização de redes sociais, comenta sobre consumo consciente e internet e ainda comenta sobre a profissão blogueira.

Como foi a sua saída do jornalismo para se dedicar ao blog. Levou alguma coisa do jornalismo para essa nova etapa?

Acho que não houve uma saída do jornalismo, porque acho que uma coisa não anula a outra. Eu me considero ainda jornalista, só que uma jornalista blogueira. Eu incorporo muito da informação que eu tive na faculdade, nos estágios e nos trabalhos que atuei em redação. Levo tudo isso para o blog para conseguir um conteúdo melhor para os meus leitores.

Você acredita então que ser jornalista te fazer ter um preparo e um cuidado maior na hora apresentar as informações no blog?

Acho que sim. A gente enquanto jornalista aprende como se comunicar, o que falar e o que não falar, como pesquisar, como escrever. Isso sim ajuda muito na hora de passar o conteúdo.

Você, como blogueira, apresenta produtos e acaba levando os seguidores a se interessarem por eles e adquiri-los. Como você pauta a questão do consumo consciente dentro do seu trabalho no blog e nas redes sociais? Como leva essa mensagem a eles?

Tenho essa preocupação, inclusive, dentro dessa questão do consumo consciente, abomino marcas que exploram o trabalho escravo. Eu por exemplo evito consumir se sei que aquela marca faz esse tipo de coisa. Também tem a questão de que eu acho que todos os dias surgem tendência e não necessariamente você tem que comprar essas peças todos os dias. Acredito que você tem que ter muito filtro para perceber o que você precisa de fato e aquilo que tem a ver com seu estilo. Você de fato vai querer usar aquilo? Acho que as pessoas para estarem na moda não precisa de fato consumir todos os dias.

Você é nordestina, natural de Alagoas, e teve uma projeção nacional. Como foi essa ascensão? Como você se sente levando o nordeste junto com seu trabalho?

Quando eu comecei o blog eu não pensei em profissionalizar ele. Comecei porque eu realmente gostava de falar de moda e usava outras redes sociais da época, como Flikr, Fotolog, tudo eu fazia parte. Iniciei o blog porque eu realmente gostava de comentar. As coisas foram acontecendo de forma muito natural, quando tomou uma proporção nacional foi um susto pra mim porque de fato eu não esperava. Pra mim é muito bacana ver que o nordeste tem blogueiras, não só eu como outras meninas, que levam nossas potencialidades adiante. O Nordeste é muito rico em cultura, em moda e acho que muito bom a gente explorar isso no nosso trabalho.

Hoje em dia você considera que a atividade de blogueira como sua profissão?

Exatamente, sou blogueira.

Como funciona seu trabalho. É você mesmo que atualiza todos os seus perfis e blog?

Eu tenho uma equipe.  Hoje de fato eu não consigo dá conta de tudo sozinha, mas estou presente em todas as etapas. Quando estou viajando, e não consigo fazer as postagens sozinhas, eu pauto, peço pra alguém da equipe fazer, reviso, sugiro, edito e tudo mais. Tenho que ter essa equipe até pra poder pesquisar e fazer coisas que às vezes eu não consigo e eles me ajudarem.

E a rotina de ensaios e fotos?

Fotografo todos os dias. Às vezes três, cinco ou dez looks todos no mesmo dia.

Hoje temos uma infinidade de redes sociais. É realmente necessário estar presente em todas elas? Como você lida com a atualização de todas?

É muita coisa. Tem redes sociais que tenho mais força e outras menos. Por exemplo, agora estou procurando investir no Youtube, onde eu não sou tão presente. Mas eu acho muito difícil você dá conta de tudo, então às vezes é bom você focar e investir em uma rede social especifica. Hoje eu digo que o meu forte é o próprio blog, onde continuo com as postagens diárias, o Instagram e o Snapchat, para mostrar mais os bastidores de tudo isso.

Por conta de sempre estar produzida nas fotos, diariamente as pessoas te cobram muito para que você só ande assim? Quando você não estar muito no humor de se arrumar, como as pessoas reagem?

Acontece muito na minha vida. Se eu não tenho nada para fazer no dia, como fotos ou algum evento, eu saio de sandália, coque no cabelo e zero maquiagem. E já aconteceu das pessoas me encontrarem e reagirem ‘Nossa como você é diferente!’, ai brinco ‘Está me chamando de feia?’ (risos). Mas eu não ligo porque a gente tem que ter uma vida, não dá pra ficar fazendo pose 24h.

Um segredo que todo mundo gostaria de saber, quais os aplicativos de edição de imagens você usar para editar suas fotos?

Eu amo Vsco Cam, Facetune, claro, não somente para tirar as imperfeições como ele também tem muitas ferramentas de filtros legais. Gosto também do Afterligth, Snapseed, onde dá pra fazer muita coisa legal para quem realmente gosta de editar e mexer nele.

Qual o futuro da profissão blogueira? É preciso se reinventar?

Acho que tem se reinventar e ir buscar conteúdos diferentes para coisas diferentes. Hoje está tudo massificado, temos um monte de blogueiras com a cara igual, com cabelos e roupas iguais. Tem que procurar sim ser diferente. A gente vê muita gente que começa a fazer porque vê alguém dando certo, mas aí faz tudo igual, não tem informação de moda e acaba sendo só mais uma pessoa. Se você quer realmente investir na carreira, tem que procurar se diferenciar.

E como buscar esse diferencial? É analisando o próprio estilo?

Eu acho! Não existe uma fórmula mágica e você não pode fugir do que você é, mas ao mesmo tempo você tem que se reinventar e descobrir coisas novas todos os dias. Eu me reinvento todos os dias. É muito difícil essa profissão se você se acomodar. Você tem que se reinventar dentro daquilo que você é, não dá para fugir do seu estilo, mas realmente tem que buscar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

A moda sai de moda, o estilo jamais.

Coco Chanel