Você está em:
ModaA moda alerta: é tempo de desacelerar!

A moda alerta: é tempo de desacelerar!

09 de October de 2017 • 14:10
por Yuri Ribeiro

A sociedade contemporânea é caracterizada pela hiper aceleração e conectividade. A velocidade com a que as coisas acontecem e se transformam também aceleram o caráter efêmero das coisas, principalmente das roupas. Na passarela do Minas Trend, semana de moda que abre o calendário de eventos da temporada Outono/Inverno 2018, e que aconteceu durante esta semana em Belo Horizonte, as marcas apontaram para o caminho oposto. A proposta vista em cena pauta a resignificação e volta seu olhar para tempos onde é preciso parar e olhar mais para si e para o outro.

Em sua 21º edição, o Minas Trend comemora dez anos consolidado como um dos maiores eventos de moda e de negócios da América Latina.. Proporcionando o encontro entre lojistas e marcas de vestuário, acessórios e calçados, em quatro dias, o Minas Trend apresentou novas tendências, looks e inspirações para o Outono/Inverno 2018. Segundo dados da Federação das Industrias de Minas Gerais  (FIEMG), entidade organizadora, o evento movimenta em turismo e logística mais de R$ 30 milhões, isso sem contabilizar negócios realizados.

 “O evento cresceu de pouco mais de 150 estandes em 2007, em sua primeira edição, para aproximadamente 220 expositores em dez anos. Nosso objetivo é fazer um estado forte que gere emprego, renda e oportunidades. Um pesquisa feita pela produção do Minas Trend apontou que os expositores vendem, em média, de 50% a 70% de sua produção durante o período de realização do Minas Trend. O que ratifica a importância da realização do evento”, pontua Olavo Machado, presidente do Sistema FIEMG.

Na sua temporada Inverno 2018, além da feira de negócios, com expositores de todo o país, uma programação de desfiles apresentou as novidades. Em sua grande maioria, as marcas e designers propuseram reflexões sobre os tempos atuais.  Lucas Magalhães, por exemplo, questiona, com suas peças, as interações pessoais vazias e travadas em ritmo frenético de hoje em dia. Ele traduz isso em peças com texturas, técnicas e cores, que geram movimentos orgânicos, em novos pesos, silhuetas e cores. A proposta de desacelerar a vida é levada para as roupas em estampas gráficas com tom artístico. A silhueta proposta é alongada, afastada do corpo e andrógina, fica bem nelas e neles.

A Molett é mais uma marca que traz para a temporada a proposta de ir contra a efemeridade. Focada no slow fashion, em seu desfile de estréia no Minas Trend, a label põe plástico e tecido lado a lado, dando um novo significado a esses materiais e prolongado suas existências, mostrando que resistência e resiliência colocam-se em oposição ao consumo irracional. Além da atemporalidade, as peças também são focadas na fluência entre os gêneros, vestindo homens e mulheres com vermelho, shapes oversized e futuristas, com referências à geração de confronto e transformação (de meados dos anos 60), em peças que olham para o futuro.

As mesmas mensagens também são pautadas pela Plural para o Outono/Inverno 2018. O processo criativo da marca teve como base a necessidade de desaceleração da rotina. A equipe de estilo, liderada por Gláucia Fróes, buscou nas texturas e processos artesanais sua inspiração para criar roupas que remetessem à pureza e beleza do mundo natural. Tricôs de pontos largos feitos artesanalmente, franjas, pinturas manuais, estampas criadas a partir de carimbos de frutos e galhos e serigrafia se misturaram para gerar um universo escapista e uma coleção bucólica, mas ao mesmo tempo, moderna e contemporânea. A marca aposta em tecidos como tweed encerado, jacquards.

Seja o primeiro a comentar

A moda sai de moda, o estilo jamais.

Coco Chanel